Mais 20 migrantes foram beneficiados com ferramentas (kits) de trabalho, por meio do Caminhos de Solidariedade – Eixo ‘Meios de Vida’. A entrega foi feita na quinta-feira, 04, na sede da Cáritas Diocesana de Roraima, para oito pessoas, e o restante dos selecionados receberam na manhã desta sexta-feira (05).

Neste Eixo, a proposta é facilitar aos migrantes a possibilidade de abrir um pequeno empreendimento solidário, pois muitos preferem continuar em Roraima, na esperança de voltar ao país de origem. Enquanto isso, a alternativa é buscar meios para se manter no estado.

Com isso, o projeto coordenado por várias entidades da igreja católica, entregou desde kit comércio, artesanato, kit de corte e costura, roçadeira para jardinagem, kits de manicure e cabeleireiro, bicicleta de carga a  máquina de fazer pipoca com todos os ingredientes para o início do trabalho.

Para Cindy Bringite, contemplada com o kit pipoca, recebe com satisfação os itens de trabalho. “Antes eu já vivia vendendo pipocas nas ruas de Pacaraima, mas infelizmente a crise me fez largar tudo que tinha lá e vir tentar uma nova vida no Brasil e graças a Deus consegui’, diz com a voz embargada.

Na ocasião, ela agradeceu pela nova oportunidade. “Até tentei recomeçar no Brasil [Roraima], mas, fracassei. Eu saia para vender pipoca pela manhã, por não saber de nada dos costumes do país, em Pacaraima vendia a toda hora, porém aqui em Boa Vista é diferente, somente na parte da tarde. Não vejo a hora de ir para casa fazer pipoca e vender nas praças”, comemorou.

Segundo a gerente de projetos, Gilmara Fernandes, é uma satisfação enorme contribuir na vida dessas pessoas que veem até a Cáritas a procura de ajuda, e poder ajudar é muito melhor. “Conseguimos mais uma vez beneficiar várias pessoas, para a Cáritas Diocesana de Roraima significa devolver a essas pessoas a dignidade merecida, porque migrar é um direito assegurado”, reafirmou.

Ainda conforme ela, os migrantes têm uma maneira de ganhar seu próprio sustento sem ter que ir às ruas pedir como vemos diariamente nos semáforos, e isso entristece, uma fonte de geração de trabalho é muito bom para eles porque todos que nos procuram tem dignidade, tem direitos assegurados por lei e podem ter sua autonomia para poder produzir para dá um meio de vida digno para suas famílias. “Um dos valores da Cáritas é “Dignidade e Justiça” e ficamos muito feliz por poder proporcionar isso para as pessoas através do caminhos de solidariedade – eixo meios de vida”, comentou.

 

A gerente da Cáritas aproveitou para adiantar que no próximo mês de abril terá a terceira entrega de kits. Novos cadastros pelos municípios estão sendo feitos pelos voluntários.