Por meio de um encontro nacional que reuniu várias instituição da Igreja Católica,  o projeto “Caminhos de Solidariedade” – CS, além de outras iniciativas,  há um  ano apoia projetos de geração de renda e trabalho para imigrantes venezuelanos em Boa Vista e em nove municípios do interior do Estado como Pacaraima, Caracaraí, Mucajaí, Amajarí, Bonfim, Alto alegre,  dentre outros.

De acordo com a gerente de projetos do CS, Gilmara Fernandes, a Feira do Bem Viver pretende se tornar uma vitrine de oportunidades e ganhos para os expositores migrantes. “Também será espaço para troca de experiências, além de oportunizar a mostra dos empreendimentos coletivos e individuais que deram certo com o apoio do projeto”, explicou.

A Feira acontece na sede da Cáritas Diocesana, na Avenida N. Sra. Da Consolata, 1529, Centro (ao lado da Catedral Cristo Redentor).  Serão dois dias de movimentação:  na sexta-feira, 13/09, os portões serão abertos às 17h. No dia seguinte, 14/09, a comercialização dos produtos inicia às 8h30, e seguirá até as 21h.

Mais de 20 expositores para mostrar os resultados dos trabalhos. Os artigos vão desde artesanato, bolsas de pano, roupas, peças íntimas e alimentos variados, com um preço bem acessível. A programação da Feira Bem Viver inclui ainda várias apresentações culturais, músicas e muitas atrações.

Ainda no segundo dia de Feira, serão promovidas também, duas oficinas. Uma sobre “Economia Popular Solidária”, pela manhã, e a outra sobre “Ecologia para crianças” de 6 a 12 anos de idade, na parte da tarde. As inscrições on-line para as duas oficinas estão abertas. As vagas são limitadas. É importante preencher o formulário com antecedência através dos seguintes links:

–  Economia Popular Solidária: http://forms.gle/pDNqn1XYhas1JY9f9

– Ecologia para crianças: https://forms.gle/xXeVWq4gbHBNEESz8.

 

ENTRADA FRANCA: vale a pena reunir a família e os amigos para conhecer e apoiar os empreendimentos dos imigrantes na capital e municípios. Os resultados do projeto mostram os talentos e capacidades do povo venezuelano que pede uma oportunidade na sociedade que o acolhe.

“O objetivo é apoiar pequenas iniciativas de geração de renda para os imigrantes venezuelanos e os povos indígenas Warao e E’ñepa que estão em Roraima, bem como para brasileiros”, explicou a gerente de projetos Meios de Vida – Caminhos de Solidariedade, Gilmara Fernandes.

  Segundo ela, o grande desafio é inserir os imigrantes no mercado de trabalho, “seja pela questão da língua e falta de oportunidades, seja pela falta de políticas públicas mesmo para aqueles qualificados que não conseguem validar o diploma”.

Por isso, o projeto Caminhos de Solidaridade, que une Instituições da Igreja, pensou em apoiar esses empreendimentos, nos municípios, e também por meio das áreas missionárias, paróquias e de várias pastorais. Foram apoiados também iniciativas de projetos coletivos como uma padaria comunitária em Amajari, e produção de velas e sabonetes em Boa Vista.

“Como Cáritas diocesana vamos continuar apoiando essas iniciativas coletivas para fomentar a Cáritas das paróquias e comunidades, mesmo após o encerramento do projeto, porque já se passou um ano”, garantiu Gilmara.

CAMINHOS DE SOLIDARIEDADE: O Caminhos de Solidariedade é uma iniciativa da Diocese de Roraima por meio da Cáritas Diocesana e o apoio da CNBB, Cáritas Brasileira, Serviço Pastoral do Migrante (SPM), Instituto de Migrações e Direitos Humanos (IMDH), Serviço Jesuíta para Migrantes e Refugiados (SJMR) e outras instituições da Igreja Católica que atuam na acolhida e integração dos imigrantes venezuelanos.

SERVIÇO:

Feira do Bem Viver – Empreendimentos apoiados pelo Caminhos de Solidariedade

Quando: 13/09 (a partir das 17h); e 14/09 (das 8h30 às 21h)

Local: Cáritas Diocesana de Roraima em Boa Vista

Endereço: Avenida N. Sra. Consolata, 1529 – Centro

Informações: (95) 99118-1697